Seia vai permitir esplanadas em lugares de estacionamento e passeios e concede isenção de taxas

Pedidos para esplanadas devem obrigatoriamente ser solicitados à Câmara Municipal

Pedidos para esplanadas devem obrigatoriamente ser solicitados à Câmara Municipal

A Câmara de Seia vai voltar a isentar o pagamento de ocupação de espaço público relativo a esplanadas até final do ano e vai permitir o seu alargamento em passeios e espaços públicos, incluindo lugares de estacionamento, de forma a minimizar o impacto da pandemia Covid-19 e estimular a economia local e o comércio local.

No âmbito das medidas de desconfinamento no combate ao novo coronavírus, a Câmara de Seia aprovou ontem, sexta-feira, «a criação e ampliação de espaços destinados a esplanadas para que os exploradores dos estabelecimentos de bebidas e restauração (bares, snack bares, restaurantes, etc.) estendam a sua actividade para o espaço público, nomeadamente passeios, estacionamentos, ruas e praças adjacentes, como compensação à diminuição da lotação no interior do estabelecimento».

A Câmara de Seia alerta que «apenas é autorizado» a instalação de esplanadas «que não conflituam com as normas de segurança rodoviária e de circulação pedonal, nem com interesses particulares de outros», que «poderão ser considerados pedidos para a criação de esplanadas em espaço público, ainda que as mesmas não sejam confinantes com o estabelecimento, dependendo a sua aprovação da análise discricionária dos serviços», e que o horário de funcionamento das esplanadas não pode exceder as 23 horas.

Na proposta aprovada por unanimidade, o Município indica que todos os comerciantes devem obrigatoriamente submeter o pedido junto do Balcão Único, para que sejam «analisados caso a caso» pela Divisão de Gestão Urbanística e Ordenamento do Território, devendo juntar-se a planta de localização com a implantação da esplanada, bem como as respectivas áreas, disposição do mobiliário e materiais a utilizar. Solicita ainda que ao pedido seja anexada a «autorização do proprietário, usufrutuário, locatário ou titular de outros direitos, sempre que o meio de ocupação seja instalado em propriedade alheia ou em regime de propriedade horizontal».

Com esta iniciativa, que facilita o distanciamento físico, o Município liderado por Carlos Filipe Camelo refere que as cadeiras e as mesas das esplanadas deverão garantir uma distância de, pelo menos, 2 metros entre as pessoas, ter uma lotação de 50% e promover a higienização, respeitando sempre as orientações dadas pela Direção-Geral da Saúde.

A autarquia adianta que esta decisão tem como objectivo atenuar as perdas sentidas pelo sector da restauração e «rentabilizar um sector tão importante para a actividade turística e comercial do concelho». Para isso, recorda, criou o programa “Seia Consigo”, que define apoios e incentivos para a recuperação da actividade económica das micro e pequenas empresas.

De referir que todos os anos a Câmara Municipal isenta o pagamento de taxas de ocupação da via pública para colocação de esplanadas nos meses de Primavera e Verão.

%d bloggers like this: